BRB/Brasília Vôlei encerra visitas de abril no CED 07 de Ceilândia

pp4_6
BRB/Brasília Vôlei faz a alegria dos alunos do CEF 19
4 de abril de 2016
cidadania_4
Atletas do BRASÍLIA VÔLEI fazem exames físicos para a pré-temporada
25 de junho de 2016

BRB/Brasília Vôlei encerra visitas de abril no CED 07 de Ceilândia

cidadania_1

Encerrando os compromissos do mês de abril, o Terracap/Brasília Vôlei esteve na manhã desta quinta-feira (7) no Centro Educacional 07, em Ceilândia. Agora as comandadas de Manu Arnaut treinarão na sexta-feira e serão liberadas para férias. O retorno está previsto para o meio de maio, quando outras visitas e treinos serão realizados.

Ao chegar no CED 07, o Brasília foi recepcionado com um café da manhã reforçado. Após o lanche, a equipe seguiu para o auditório do colégio, onde foi ovacionada. Uma das mais gritadas foi a bicampeã olímpica Paula Pequeno, criada em Ceilândia. Algumas atletas prepararam discursos motivacionais, como a própria Paula, Macrís e Bárbara, sempre aplaudidas pelos alunos e diretores.

cidadania_2Depois das apresentações, foram distribuídos brindes do time e alguns estudantes puderam fazer perguntas para as atletas. As fotos e autógrafos ficaram para o fim. Para Paula Pequeno, é muito gratificante ter esse tipo de reconhecimento. “Sempre fui muito bem recebida, mas a grande diferença é a idade. Aqui estiveram presentes adolescentes entrando na fase adulta e que puderam acompanhar mais tempo a minha e a carreira de todas do time. Então, hoje, esses projetos importantes para manter a memória viva; para que os pequenos nos conheçam um pouco mais e os mais velhos continuem nos valorizando por anos e anos e que não se esqueçam de quem nós somos”, afirma a camisa 4.

O técnico Manu Arnaut também ressalta a importância das visitas. “É bacana para trazer as crianças para a realidade e a importância do que elas fazem na escola. Você pega o Aguinado, que é estatístico, por exemplo. As vezes as crianças não entendem a importância de estudar matemática e poder ver um profissional que trabalha com estatística no esporte, enxergamos o quão fundamental é ter essa formação básica. Às vezes você não tem a qualidade técnica para ser atleta, mas gosta de estar no meio e fazer outras funções. Outro exemplo é do assessor de imprensa das equipes. É um profissional que na escola valorizou o português, geografia e história para poder trabalhar com o esporte e esses exemplos ajudam a desmitificar a conversa de que só quem está envolvido com o esporte é quem tem habilidades motoras. Estes são momentos que definem a vida das crianças”, finaliza.

O Terracap/BRASÍLIA VÔLEI é patrocinado pela Terracap, Corretora Seguros BRB, Lupo Sports e SESI.